It’s On Trestles

de Carol Marques

 

A Califórnia é sinônimo de surfe, já que essa parte na costa do Pacífico é atingida por boas ondas praticamente todo o ano. No entanto, há um local em particular que atraiu mais atenção do que qualquer outro pico – Trestles, a casa do WSL Finals. 

Se você acompanha a nossa série de matérias “It’s On”, vai perceber o quanto os picos do circuito mundial estão interligados na história do surfe e não poderia ser diferente nessa última etapa. Descoberto em 1933, Lorrin “Whitney” e alguns amigos desbravaram o que viria a ser uma das ondas mais alta performance do mundo. Quinze anos mais tarde Duke Kahanamoku colocou Trestles no mapa oficial do surfe mundial.  

 

Foto divulgação WSL

 

Com janela para os dias 9 a 17 de setembro, o palco do Rip Curl WSL Finals é Lower Trestles, localizada dentro do Parque Estadual de San Onofre, em San Clemente na Califórnia.  

Mas como será consagrado o campeão mundial do circuito 2021? 

Decidido apenas em um único dia, serão escolhidas as melhores condições dentro da janela de espera para o início do campeonato. Seguindo a classificação que levou os 5 finalistas, tanto no feminino como no masculino, os confrontos serão divididos da seguinte forma:  

Primeira bateria: o surfista que ocupa a quinta colocação enfrentará o quarto lugar do ranking, em bateria no formato tradicional. 

Segunda bateria: o vencedor do primeiro confronto enfrentará o terceiro colocado do ranking. 

Terceira bateria: o vencedor da segunda bateria disputará com o segundo surfista colocado no ranking. 

Decisão do título: o surfista que passar da terceira bateria enfrentará o número um do ranking. O surfista que vencer duas das três baterias se torna o novo campeão mundial. 

 

Novas Lycras 

Criadas pelo surfista Lukasik, as lycras do WSL finals ganham mais um significado; representam a luta de milhares de pessoas para salvar a importantíssima bacia hidrográfica do riacho de San Mateo, responsável por essa onda mundialmente famosa.  

A campanha “Save Trestles” impediu a construção de uma estrada com pedágio de 6 pistas que cortaria San Onofre State Beach, local sagrado também para alguns indígenas americanos.  

 

Foto: Glaser

 

 

Melhores picos 

 

San Onofre State Beach foi apelidada carinhosamente pelos locais como a “Casa dos Campeões”. Considerada o Waikiki do litoral da Califórnia, resistiu ao teste do tempo e hoje é um paraíso para surfistas do mundo inteiro com centenas de campeonatos de surfe e lar de muitos surfistas profissionais.  

As ondas mais famosas são as direitas de Uppers, as longas esquerdas de Cottons e Lower Trestles. Conhecida por ser um “skatepark”, as ondas nesse pico são extremamente longas e manobráveis. Como característica, as direitas são perfeitas para o surfe progressivo, já as esquerdas são conhecidas por serem mais curtas e íngremes. As melhores condições para Lower Trestles pela Surfline são:  

Melhor direção do swell: S/SW 

Melhor direção do vento: E/NE 

Maré: meia maré  

Melhor época para o surf: abril e outubro 

 

Foto: WSL / Rowland

 

 

Curiosidades 

 

  • Proibida até nos anos 70, Trestles fica no meio de uma zona militar americana. Somente os surfistas mais corajosos se aventuravam por lá nessa época.  

 

  • San Clemente concentra grandes shapers e fabricantes de pranchas de surfe. Atraídos também pelas condições dos picos, vários surfistas de renome mundial foram criados ou fixaram residência por lá. São eles: Kolohe Andino, Filipe Toledo, Shane Beschen e Mike Parsons 

 

O surfe brasileiro vive o seu melhor momento e nós podemos provar. Temos Gabriel Medina, Italo Ferreira e Filipe Toledo encabeçando o ranking masculino e a brasileira Tatiana Weston-Webb vice-líder no feminino. Escolha o seu preferido e vida longa a Brazilian Storm! 

 

Você pode gostar

Deixar um comentário